sábado, 9 de setembro de 2017

 A minha Graça te basta


Durante muito tempo eu trabalhei na área hospitalar, e passar o dia no hospital para mim é algo simples, nada de diferente.
Até tenho um trabalho voluntário como médico palhaço, então a rotina hospitalar para mim não é nenhum bicho de sete cabeças.
Sei quando um paciente está numa situação delicada, sei quando temos um paciente perto de ter alta, a alegria dele é contagiante.
Posso dizer que já vi de tudo dentro de um hospital, seja como funcionário ou como palhaço.
Nessa semana que passou eu tive uma experiência diferente, eu era o paciente, eu estava internado.
Algumas pequenas pedrinhas nos dois rins foram o motiva da internação, e realmente essa experiência horrível, nada amigável. E eu questionei Deus. Tenho tantos planos, os estudos no mestrado quase acabando, trabalho na igreja dando frutos, uma vida totalmente ativa e eu tinha que parar justo agora?
Fiquei com essa questão na cabeça, nem consegui dormir direito nessa semana louca para mim, realmente fiquei me questionando e questionando Deus.
Comecei a pensar: Já que estou aqui e não posso fazer nada vamos ver o que podemos tirar de proveito disso tudo.
Peguei a minha mochila, pois na segunda feira eu estava trabalhando quando fiquei ruim com dores renais, e não fui para casa, e dentro da mochila tinha alguns livros e a Bíblia.
Como eu teria muito tempo, vou aporiveitar da melhor maneira possível (pensei).
Avisei aos amigos que estava internado e pedi oração, e nessas horas é muito bom ver que realmente temos amigos, recebi várias mensagens e agradeço a cada um que orou e tem orado por mim.
Foi aí que comecei a entender algumas coisas.
Eu fui adicionado no grupo do WhatsApp da igreja chamado "sua Graça me basta". Enquanto eu recebia algumas mensagens de outros grupos de amigos eu também recebia alguns por esse novo grupo que fui incluído, e em cada mensagem aparecia o nome do grupo "sua Graça me basta".
Aquilo foi chamando a minha atenção e fui para o texto de 2Cor 12:9 onde o apóstolo Paulo escreve sobre a Graça de Deus e o quanto ela é suficiente para nossas vidas.
Em cada mensagem recebida o destaque ficava sempre para "Sua graça me basta".
Foi neste instante que percebi o quanto Deus queria que eu parasse um pouco na minha rotina e lembra-se que A graça dele é suficiente.
Quanto estamos trabalhando, seja na empresa, na igreja, ou nos cuidados da casa acabamos entrando num ritmo quase mecânico, e sistemático, entramos no modo automático, é neste momento que Deus, o próprio Deus nos coloca no rumo e nos faz lembrar que somente a graça D'Ele é necessária para nossas vidas.
A graça nos livra de uma vida mecânica e escrava para uma vida simples e liberta, a graça corrige a rota de nossas vidas e limpa os nossos olhos cheios de escamas.
A Graça que é preciosa nos faz lembrar que somos dependentes e não podemos fazer nada sozinho.
A Graça nos livrou da morte, retira o medo e nos dá a esperança.
Isso tudo me fez lembrar do Salmos 46:10 que diz: Parem de lutar! Saibam que eu sou Deus!.
Eu nunca deixei de pensar em Deus, mas essa semana foi uma semana na qual pude rever e relembrar que a Graça dele é suficiente para nós.
A Deus toda a Glória.

PS: Já estou em casa....muito obrigado pelas orações.



quarta-feira, 30 de agosto de 2017




"Tudo tem o seu tempo determinado"

No eclesiastes o pregador comenta que tudo tem o seu tempo.
Salomão já é um senhor de idade, ele já passou por muitas coisas na vida, e agora na sua analise final da sua vida ele argumenta que o tempo é precioso.
Nos dias de hoje quem é rico não é aquele que tem dinheiro, bens e muitos carros, mas sim aquele que tem o tempo.
Tempo para viver, tempo para poder prestar atenção nas coisas belas da vida, tempo para poder dizer para a esposa e filhos que você os ama, tempo para poder abraçar a sua família, tempo para poder brincar com o seu cão que está só na expectativa de um carinho na barriga, tempo para poder andar de bicicleta, tempo para lavar o quintal (alguns podem dizer que isso não é legal) tempo para regar a planta, tempo para pintar o seu portão, tempo para poder passear com a sua família seja num parque, zoológico, ou cinema, ou quem sabe naquela praça de alimentação do shopping mais longe da sua casa. Aquele que tem tempo para poder ver a grandeza de Deus na sua criação, na natureza, nos mínimos detalhes, tempo para agradecer a Deus quando pisa na areia da praia, ou quando escorrega num tobogã de uma piscina. Tempo para poder sentar e ver o seu filho brincando na sala de casa, ou tempo para ser um cavalinho para que seu filho possa subir e achar que é um grande herói com o seu grande cavalo (neste caso você é o grande cavalo). Enfim, seja você alguém que é pai, ou não, você que é casado ou não, você precisa aprender a aproveitar o seu tempo.
Voltando ao nosso amigo Salomão, ele faz essa comparação com o tempo e diz no final do livro do Eclesiastes que devemos aproveitar muito bem o tempo, aproveitar muito bem a nossa mocidade, aproveitar muito bem a nossa vida.
Ao entendermos que quem tem tempo hoje é uma pessoa rica, temos em mente que temos que aproveitar esse tempo da melhor maneira possível, pois a vida passa muito, mas muito rápido mesmo, e se não pararmos para viver a vida acabaremos perdendo o tempo.
Como você tem aproveitado o seu tempo?




terça-feira, 28 de março de 2017

A vida é bela!

Eu demorei um pouco para ver o filme A vida é bela, acredito que foi mais ou menos por volta de  4 anos depois do seu lançamento. lembro  que chorei muito e tenho para mim que esse é um filme que deve ser visto por todos.
O filme conta a história de um homem que faz de tudo para esconder do filho as atrocidades do holocausto, de uma forma criativa e comovente ele faz do campo de concentração um lugar totalmente diferente para que seu filho não perceba a dor e os sofrimentos daquele local. O final é simplesmente emocionante!.
Ontem* depois de passar a noite no hospital com a minha filha e brincar de esconde-esconde com ela na sala de medicação tive a sensação clara e exata da mensagem que o filme nos proporciona.
Olhando para a minha situação de ontem e comparando com o filme tenho em mente o verso 6 do Salmo 84 "que, passando pelo vale de Baca, faz dele uma fonte; a chuva também enche os tanques", o vale de Baca ou vale das lágrimas (bálsamo) é a nossa estrada diária e necessária para nossa peregrinação, a maneira que iremos passar por esse vale irá determinar em muito a nossa jornada nesta terra. O nosso foco tem que ser em Deus e em sua majestosa morada, porque neste Salmo diz que até o pardal encontrou morada lá, (imagina como será para nós), temos que ter fé.
Quando atravessamos esse vale temos que lembrar que não estamos sozinhos (salmos 23:4) e ainda temos que ter em mente que Cristo Jesus, o próprio Deus está conosco.
Hoje como pai pude entender claramente esse filme, hoje eu entendo a graça de Deus e o seu cuidado para com o seu povo.
A graça de Deus é um bálsamo para nossas angústias e ansiedades.
Que possamos ser criativos em todo o tempo e dependentes da graça de Deus.
 * Esse artigo foi escrito no dia 28/03/2014, um dia após passar uma noite e uma madrugada com a Laura no hospital.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Pai, papai, papaizinho


Todas as noites antes de dormir eu faço uma oração junto com a Laura. Na verdade eu falo e ela vai repetindo (as vezes ela faz sozinha, mas ela gosta quando eu faço junto com ela). E a cada dia sou surpreendido pelas atitudes da Laura. Essa semana, ela fez algo que me fez pensar.

Eu comecei a oração como sempre falando: Papai do céu, e a Laura respondeu: Papaizinho do ceuzinho.
Espera um pouco filha, eu falei...É Papai do céu. Ela continuou.. Papaizinho do ceuzinho. Eu parei e ela começou a rir e falou, é assim papai.
Eu realmente fiquei espantado, e continuamos a oração, e até o final ela sempre foi falando "papaizinho", "Jesus Cristinho", "amenzinho".
Terminamos a oração, ela estava radiante, rindo muito, ela estava muito feliz. Dei um beijo nela e fomos dormir. Enquanto ela dormia, eu estava pensando no que tinha acontecido. Eu falei "papaizinho", de onde a Laura tirou isso? Como ela pode fazer isso? Eu nunca tinha feito uma oração assim. Depois de tanto pensar, cheguei a conclusão: A Laura entendeu quem é Jesus, quem é o Papai do céu.
Não me espanto quando Jesus chama as crianças e nos alerta para sermos iguais a elas, pois elas realmente entendem quem é o Senhor Jesus Cristo.
Quando chegamos na idade adulta, ficamos preocupados com o dia a dia, com as responsabilidades de casa, de trabalho, de igreja, são tantos afazeres que acabamos deixando de lado esse nosso lado que entende quem é Cristo verdadeiramente.
Sabemos quem é Cristo, oramos todos os dias, suplicamos a Deus, mas na maioria das vezes oramos com o sentido da necessidade da ajuda do que outra coisa.
Orar junto com a minha filha mostrou para mim que na fase adulta os homens acham que podem fazer todas as coisas, e que só vamos falar com Jesus quando temos algum problema.
O papaizinho do ceuzinho é a chave do segredo para a oração para Deus com Cristo,é o reconhecimento que somos dependentes de Deus em todos os momentos, e que somos os filhos de um pai tão amoroso que cuida, protege e supre todas as nossas necessidades.
Jesus orou assim, se olharmos para a oração do pai nosso no evangelho de Mateus, vemos Jesus chamando Deus de papaizinho: ABA.
Se Jesus fez isso, nós também podemos fazer.
Tem um paizinho que cuida de nós.
Como tem sido a sua oração nos dias de hoje?

segunda-feira, 6 de março de 2017

Dona Tereza, 77

No último sábado (04/03) estivemos no hospital Medina para mais um dia de missão.
Já são 7 anos de trabalho no mesmo hospital, e em cada visita as experiências são diferentes.
Depois de realizar todas as visitas, uma das enfermeiras nos parou no corredor e falou: Vocês foram ver a dona Tereza?
Na sequência eu respondi: Dona Tereza? Não encontramos essa paciente.
Ela nos informou que a dona Tereza estava no último quarto, na última porta. Último quarto? Mas nós fomos em todos, eu afirmei categoricamente.
Vocês precisam ir ver a dona Tereza respondeu ela.
Infelizmente como o hospital de Poá está passando por algumas mudanças, não percebemos que o quarto que era usado antes como isolamento na verdade era usado agora como um leito comum. O que me chamou a atenção e o fato de não termos visto esse quarto antes é que tinha um monte de bagunça na entrada do mesmo.
Ao entrar no quarto nos deparamos com a seguinte cena: Um jovem por volta dos seus 17 ou 18 anos, com um boné maneiro e a orelha furada. Ele estava alisando os cabelos de uma senhora de 77 anos com a pele bem marcada pela idade, de cabelos branco e compridos.
O cabelo dela me fez pensar no quanto ela seria vaidosa no cuidado dele, um cabelo bem arrumado, e o seu neto (fiquei sabendo depois que ele era o neto dela) passava a mão como se estive penteando para ela.
A dona Tereza estava com os olhos entre abertos, e chorava muito. Ela não interagia conosco, e o seu neto falava: Olha vó, a sra. tem visita, e mesmo assim a dona Tereza não parava de chorar.
Em casos assim o nosso trabalho se resume em fazer uma oração, e se possível cantar uma música, mas a dona Tereza chorava muito. Partimos para a opção de cantar uma música bem calma, lenta e suave. O Gustavo (dr. GutoLac) deu os primeiros acordes e começamos a cantar: “Cristo cura sim, Cristo cura sim, seu amor por nós é imenso, Ele cura sim”. Fizemos uma versão acústica e quase silenciosa dessa música, e algo extraordinário aconteceu: a dona Tereza parou de chorar.
Eu fiquei parado olhando a cena, enquanto o Gustavo e a Camila continuavam a cantar eu fui percebendo a dona Tereza, e a cada nota, a cada acorde, a cada palavra que saia dessa melodia, ela respirava mais calma e o choro parou.
Terminamos a música e a dona Tereza estava dormindo.
Emendamos uma nova música (Mais perto quero estar) e o neto da dona Tereza falou: Ela dormiu.
Ele nos agradeceu, fizemos uma oração e fomos embora.
O choro acabou, a dona Tereza estava descansando.
Sempre gostei de música, e sempre soube do impacto que ela causa nas nossas vidas, mas essa foi a primeira vez que eu vi a música entrar como uma mensagem de bálsamo e refrigério na vida de alguém.
Pode ser que eu nunca mais veja a dona Tereza, mas uma coisa eu tenho certeza, ela entendeu o recado de que Cristo é o médico dos médicos e que ele cura segundo a vontade D´Ele, e aqueles que esperam em Cristo, mesmo que estejam passando por dores e sofrimentos, saibam que ele tem um bálsamo, um refrigério para as nossas vidas, pois Ele nos leva para pastos verdejantes e águas tranquilas e renova as nossas almas pela vereda da justiça por amor do nome Dele. (Salmos 23:2-3)

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Pastor Gollum

Acreditem eu não queria estar escrevendo isso, mas a dor que eu sinto no meu coração ao ver colegas de ministério largando o púlpito para irem atrás de fama e poder faz com que eu continue o movimento dos meus dedos neste teclado.
Eu falei que eles largam os púlpitos e nem sempre isso ocorre, eles ficam grudados no mesmo de tal forma que não largam o osso com medo de ficarem fraco, é o mesmo sentimento  do um anel na vida do Bilbo Bolseiro ou do Gollum na obra do J.R.R Tolkien, o Senhor dos anéis.
A fama, o poder a ganancia e a soberba tem sido os grandes vilões das nossas igrejas neste século perdido.
O desejo de ser reconhecido, o status de ter a igreja cheia e o dinheiro faz do pastor contemporâneo um verdadeiro mercenário gospel. Estou usando o termo gospel pois tudo hoje é gospel, até boate gospel encontramos.
Mas voltando aos meus amigos de ministério tenho visto que nem todos são assim. Ainda temos os guerreiros, o homens de Deus que se colocam diante de Deus e da comunidade, que tem cheiro de ovelha e que por elas estão dispostos a enfrentar os ursos e leões.
Mas poucos são esses guerreiros que tem se desdobrado em dois, trës e até mais. Homens que tem o coração voltado para Deus e para a sua obra, homens que entendem o sacrifício da cruz a morte e  a ressurreição de Cristo.
O  pastor Gollum, a cada dia que ele vai ficando com o anel mais ele vai definhando. Ele não estuda mais, ele pega seus sermões direto da internet, ele quer ficar sozinho e cada vez mais sozinho com o seu precioso. Precioso, meu precioso! neste caso o precioso não é um anel, e sim a sua alma gananciosa, seu ego doentio e narcisista, seu coração corrompido e sua mente deturpada.
Pastores Gollum tem se multiplicado pelo nosso pais, matando as pessoas e pensando no lucro.
Como na história de Tolkien, precisamos destruir o anel, e só iremos conseguir tal façanha se nos propormos a ajudar nossos amigos de ministério com o coração cheio de amor e misericórdia.
Não podemos abandona-los, precisamos ajuda-los a encontrar o caminho certo, o caminho que leva para a liberdade em Cristo.
Voltemos para o cristianismo puro e simples.

Gilvan Garcelan


sábado, 22 de março de 2014

Palhaço

Uma dor, um choro, depois vem o espanto e a seguinte pergunta: um palhaço aqui?
A figura que entra no quarto lembra muito a de um médico, ele tem um jaleco branco e uma pasta, até ai tudo bem, mas o jaleco tem uns bolsos coloridos, a pasta dele tem uns desenhos engraçados e uma galinha de borracha quase caindo, e um detalhe que não dá para não perceber, um grande nariz vermelho.
É um palhaço e não um médico, e o que ele faz aqui neste quarto de hospital? E ainda por cima tem alguns outros palhaços com ele dizendo que são médicos estudados e eles estão com instrumentos de música, violão, chocalho.
De repente o palhaço pede licença e começa a cantar uma música sertaneja totalmente desafinado e sem ritmo, os outros palhaços começam a falar que está tudo errado, e eles começam a brigar, mas é uma briga engraçada, algo que faz rir, e com isso a dor vai embora, o choro acaba e o que era espanto se transforma em alegria, o palhaço trouxe alegria.
E com a alegria estampada no rosto do paciente o palhaço vira e diz: posso te falar sobre Jesus? O paciente concorda, o acompanhante concorda, e assim todos acabam sabendo de Jesus e do plano de salvação.
O grupo de palhaços cantam mais uma canção, dessa vez cantam certo e deixam o quarto pedindo que na próxima visita deles o paciente não esteja mais ali.

Ao sair do quarto, a dor deu um tempo, o choro foi esquecido e uma pergunta fica: estes palhaços estavam falando de Jesus?